menu.gif  
 
Os jogos da Grécia Antiga

A cidade de Olímpia estava soterrada na Grécia e foi encontrada por pesquisadores alemães lá pelo final do século 19. A ela se deve o nome Olimpíada, que na verdade significava o intervalo de quatro anos entre a realização dos festivais olímpicos.

Os primeiros Jogos de Olímpia foram realizados em 776 a. C. A partir de então, aconteceram 287 Jogos, até 393 d. C. quando, sob o domínio romano, foram proibidos. Depois disso só foram reiniciados em 1896 d. C., em Atenas, o que se chamou de primeira Olimpíada da Era Moderna.

Na Grécia Antiga relata-se que aconteciam três outras grandes competições, sempre nos mesmos locais, além de Olímpia. Existiam em Delfos (jogos Píticos), em Corinto (jogos Ístmicos) e no vale da Neméia (jogos Nemeanos). Em cada um desses locais havia um deus protetor e era oferecido aos ganhadores um prêmio específico (coroa de louros, coroa de folhas de pinheiro e coroas de salsa, respectivamente).

A primeira prova dos jogos realizados na Grécia Antiga foi chamada de Stádion. Nela, os atletas deveriam correr 183 metros. Quem ganhasse tinha a honra de ver a Olimpíada batizada com o seu nome.

Esculturas gregas guardadas a muitas chaves em alguns privilegiados museus mostram a cultura helênica da antiguidade e nos contam histórias das realizações dos jogos olímpicos da época.

Por exemplo, uma escultura de 510 a. C., que está exposta no Museu Arqueológico Nacional de Atenas, mostra lutadores duelando. A luta era uma das provas dos jogos e Pancrácio era o nome de uma luta, realizada numa arena escorregadia, na qual valia tudo, salvo morder, arranhar e furar o olho do outro combatente.

O Pugilismo era uma outra prova existente nos jogos antigos. Ganhava quem conseguisse nocautear o oponente ou quando este entregava a luta. Havendo empate a decisão pelo vitorioso era feita pelo “klimax”, condição na qual cada lutador socava o outro no rosto. As mãos e os punhos eram protegidos por tiras de couro de boi (“himantés”), mas não há relato de qualquer proteção do rosto dos lutadores.

Carros de madeira puxados por cavalos (dois cavalos puxavam as bigas e quatro, as quadrigas), conduzidos por um indivíduo (chamado de auriga) eram usados para realizar as corridas.

Também praticava-se o salto em distância numa caixa de areia com um comprimento de 15 metros. Ao pular os atletas seguravam dois pesos (halteres de pedra) para ganhar impulsão e eles eram soltos antes de os pés tocarem o solo.

Os jogos na antiguidade eram muito bem organizados e sempre envolviam a louvação aos deuses mitológicos. Que nesta Olimpíada de 2004, de novo na Grécia, Zeus, o deus dos deuses, e todos os demais deuses que sempre estiveram presentes nas comemorações dos jogos na Grécia, protejam os jogos e os atletas e que possamos usufruir em paz desse que é o mais bonito espetáculo da terra.

Prof. Dr. Rosires Pereira de Andrade
Prof. Titular de Reprodução Humana da UFPR
Diretor do CERHFAC - Centro de Estudos e Pesquisas em Reprodução Humana e Fertilização Assistida de Curitiba

 
Rua Amâncio Moro, 77
Alto da Glória - CEP 80030-220
Curitiba - Paraná
Fone: (41) 3254-3424

pesquisa@cerhfac.com.br
Todos os direitos reservados
© CEPEME CERHFAC